Estou ficando velho

Estou ficando velho. Um viciado em séries, coberta e café. Um ranzinza chato que só sabe reclamar dos adolescentes idiotas e dos preços do mercado. Agora eu fico o domingo todo bocejando e andando de meia do quarto para cozinha. Querem a prova irrefutável da minha velhice? Comecei a gostar de verduras e legumes – até sei da importância do quiabo. Já começo a perceber os fios brancos, estou usando óculos e posso jurar que já nasceram rugas de preocupação.

Eu era daquelas pessoas que não perdia Carnaval em Salvador. Ficava pulando atrás dos trios sem parar. Costumava ir para a Avenida às 14 horas e só voltava para casa às 6 da manhã. Uma coisa absurda. Hoje em dia não gosto do Carnaval da capital nem pela televisão. Fico cansado só de olhar aquele povo suado correndo atrás do Chiclete com Banana. Quando o dinheiro começou a sumir, migrei para o Carnaval de Rio de Contas. Vocês sabem como é: ninguém consegue dormir e a galera fica no loop infinito de cachaça. Fiquei ali por três anos seguidos. Fico de ressaca só de lembrar. Mas, como vocês podem notar, estou envelhecendo. O meu Carnaval esse ano foi numa fazenda com meia dúzia de amigos. Jogamos dominó, sinuca e Imagem e Ação. E foi uma alegria sem fim…

E as micaretas? As festas do Divino em Poções? Grandes sextas no Gimba Jardim? Não posso negar que tenho grandes lembranças e que foi uma época divertidíssima. Mas hoje não rola mais diversão. Fico deslocado, sei lá. E também tem o novo episódio de Game of Thrones para assistir e O Guia do Mochileiro das Galáxias para terminar de ler…

Ainda gosto de uma cervejinha, claro. Mas o que estou curtindo hoje em dia é sentar num boteco com os amigos, no fim do expediente, e reclamar da vida, do trabalho e do cansaço. Vale até ficar bêbado. Tem coisa melhor do que sair do trabalho na sexta e ir direto para um barzinho com alguns poucos amigos para resmungar velhices?

Que fique claro: não me arrependo de nada do que fiz. São várias resenhas e histórias para contar. Fiz parte de uma adolescência que não tinha internet e aí, meu amigo, o lance era fazer festinhas com caipirinha. Era a adolescência que pegava a moto do pai sem pedir para curtir forró em qualquer buraco (desculpa, pai). Lembro de tudo com muita saudade e carinho. Mas passou…

Que fique igualmente claro: é bem possível que você me encontre em alguma grande festa por aí. Pode ser que fico empolgado e vou curtir. Mas o pouco histórico desses últimos tempos só me mostra que, inevitavelmente, estarei cansado às 2 da manhã e procurando um lugar para sentar desde minha chegada.

Então é isso, meu povo. Estou topando convite para almoços, boteco no fim do expediente e jogo de baralho. Agora vou parar de escrever. A coluna começou a doer aqui.

Anúncios
Etiquetado , , ,

2 pensamentos sobre “Estou ficando velho

  1. Kinho disse:

    Curti muito seu blog. Ri de tudo, inclusive da descrição do que é “essa coisa”. Gostei do título, o visual bem limpo e texto muito bem redigido. Está de parabéns.

  2. Eva disse:

    Bobinho…Lindo texto. Mas vc n tá ficando velho..Tá ficando sábio. Um bjo cheio de carinho. Eva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: